Logomarca Sesc
Piauí

Cultura

A área de manifestações culturais é considerada pelo SESC como contexto dos mais expressivos para a elevação dos indivíduos aos patamares superiores da condição humana e da produção de conhecimentos que contribuam para a proposição de soluções para os graves problemas que comprometem o processo de desenvolvimento nacional. Para que tal se efetive é necessário, entretanto, que a Entidade amplie seus esforços no sentido de criar condições que possibilitem à cultura se tornar um real instrumento de transformação dos indivíduos e da sociedade.

Não é suficiente, no entanto, um dizer de intenções nessa direção ou simplesmente a Entidade torna-se um espaço de ocorrência de produtos que possam ser designados como manifestações culturais. É necessário que os objetos assim reconhecidos pelos SESC sejam aqueles capazes de enriquecer intelectualmente os indivíduos, levá-los a desenvolver uma percepção mais acurada, propiciar-lhes uma nova compreensão das relações sociais, uma releitura de seu estar-no-mundo, permitir-lhes transcender suas condições de origem e formação, dotando-os, por conseguinte, de uma consciência mais universal. Em outras palavras, significa privilegiar produtos culturais que contribuam para construir um novo olho-o-mundo, e que se instrumentalizam em uma ação transformadora dos indivíduos e da sociedade, excluindo-se, portanto, da ação programática da Entidade, aqueles produtos culturais que tendem à sua reificação, por se formarem a partir de conteúdo e formas reiterativas de padrões culturais já gravados na memória de seus receptores.

Estímulo à Produção Cultural

Uma das formas de o SESC atuar no campo da cultura é o estímulo à produção cultural. Ao se constituir como um dos espaços de sua viabilização, estará o SESC criando condições para o seu revigoramento, contribuindo para o aperfeiçoamento da produção cultural brasileira, melhoria do nível intelectual do povo brasileiro e fortalecimento do sentimentos de identidade nacional, visto como condições essenciais do desenvolvimento.

A consciência de que é com uma ação efetiva no campo da produção cultural que o SESC poderá dar uma contribuição real para o alcance desses objetivos leva à necessidade de se definirem critérios e condições que orientem sua ação nesse campo.

A proposição de SESC ser um espaço de viabilização da produção cultural traz em si a necessidade de também ser incorporada à Entidade a função de articulador entre produtores e consumidores de bens culturais. Significa dizer que disponibilizar simplesmente seus espaços não permitirá distinguir seu papel no processo brasileiro, de outras entidades com finalidades e objetivos diversos.Assumir a função de articulador cultural exige a definição de uma proposta de gerenciamento que permita o alcance do objetivo proposto.Para tanto, é necessário que as linhas de trabalho a serem exercitadas permitam dotar os responsáveis pelo prazer cultural das condições necessárias para operacionalizarem o seu pensar e agir.

A Primeira linha de trabalho para efetivar a ação dos produtores culturais á a criação das bases materiais para a apresentação de seus produtos.

Veja abaixo as últimas notícias relacionadas ao programa Cultura:

Michelly Dominiq ministra oficina do Arte da Palavra em Floriano

arte da palavra site

 

Floriano recebe entre os dias 13 e 17 de agosto a oficina “Criação literária: O que é contar histórias?”, que faz parte do Arte da Palavra: Rede Sesc de Leituras e será ministrada por Michelly Dominiq (MS).

Michelly é atriz, escritora, psicopedagoga, contadora de histórias e facilitadora em elaboração de projetos culturais.

A oficina será ministrada das 18h às 21h, no auditório do Senac. Serão oferecidas 25 vagas. As inscrições podem ser feitas até o dia 13, no local da oficina. Para inscrições antes do início do curso, o interessado deve ir ao Setor de Literatura do Sesc Floriano.

Sobre o Arte da Palavra

O Arte da Palavra: Rede Sesc de Leituras busca oferecer ações que atuem em toda cadeia da literatura, desde a formação e divulgação de novos escritores, a valorização das obras e escritores brasileiros e as novas formas de produção e fruição literária, possibilitadas pela emergência dos discursos periféricos e a utilização de novas tecnologias.

Desse modo, as diferentes frentes contempladas pelo projeto podem contribuir para a democratização do acesso à leitura, um dos pilares para o desenvolvimento social e cultural do país.

Clube de Leituras discute obra do francês Edgar Morin

edSITE

O próximo encontro do Clube de Leituras ocorrerá neste sábado (21), às 18h, no Sesc Caixeiral, em Parnaíba. Desta vez, o bate-papo será sobre a obra Ciência com Consciência, do escritor francês Edgar Morin. 

Em Ciência com Consciência, publicação da Bertrand Brasil, Morin alerta para a necessidade de uma nova consciência para a ciência e pergunta “A aventura científica nos conduz à catástrofe ou a um mundo melhor?”.

A mediação do bate-papo ficará por conta da estudante de turismo Melissa de Souza. A entrada é gratuita.

Conheça a obra

Segundo Edgar Morin, há três séculos o conhecimento científico não faz mais do que provar suas virtudes de verificação e de descoberta em relação a todos os outros modos de conhecimento. Para Morin, a ciência criou meios extremamente poderosos de transformação, manipulação e destruição, como as armas atômicas e as experiências genéticas, que ameaçam o meio ambiente. A Ciência, com sua realidade multidimensional, pode reproduzir efeitos profundamente ambivalentes. O pensamento científico é ainda incapaz de se pensar, de pensar sua própria ambivalência e sua própria aventura. Com o propósito de explicar ao leitor o porquê do título do livro – Ciência com Consciência – o pensador ressalta que a ciência empírica privada de reflexão e uma filosofia puramente especulativa são insuficientes. Consciência sem ciência e ciência sem consciência são radicalmente mutiladas e mutilantes.

Escrever sem Fronteiras promove mais um bate-papo no Sesc Caixeiral

saitidps

Nesta sexta-feira (20), às 18h, o Sesc Caixeiral promove mais um bate-papo literário entre escritores da Plataforma Escrever sem Fronteiras.

O artista convidado, Gustavo Rosal, irá compartilhar com o público suas experiências literárias por meio da mediação do curador da Plataforma, Ithalo Furtado. A entrada é gratuita e a classificação é livre. 

Conheça o convidado:

Gustavo Muniz Barros Rosal Benvindo tem participação na coletânea de poesia “Versania” (Sieart, 2017) e publicações esparsas em revistas, jornais, blogs, redes sociais e plataformas.

Sesc Caixeiral promove mais uma edição do Concerto Sesc Partituras

quintetoSITE

O Sesc Caixeiral promove nesta quinta-feira (19) o Concerto Sesc Partituras. Será a partir das 19h, no Centro Cultural, com o grupo Quinteto Mosaico. A entrada é gratuita.

Já nos dias 20 e 21 de julho, das 8h às 12h e das 14h às 18h, acontecerão as oficinas de cordas friccionadas, mediada pelo professor Carlos Gilberto, juntamente com a integração do pianista Beetholven Cunha como forma pedagógica de ensino.

Saiba mais sobre o grupo Quinteto Mosaico

O grupo faz uma ligação musical com as artes visuais a partir do momento em que proporciona em sua formação a junção de elementos musicais distintos, ou seja, a união dos respectivos instrumentos musicais: trompa, flauta, clarinete, oboé e fagote, com o propósito de harmonizá-los em suas criações musicais.

O quinteto é formado por Avelange Amorim Lima (trompa), Daniel Venícius Lopes (flauta), Felipe Oliveira Pimentel (oboé), Miranísia Freitas (fagote) e Francisco das Chagas Santos (clarinete). Todos graduados em música pela Universidade Federal do Piauí e com uma vasta experiência musical em grupos de câmeras, orquestras e festivais de música pelo Brasil.

Conheça o professor Carlos Gilberto

Carlos Gilberto é natural de Teresina (PI), onde iniciou seus estudos de teoria musical, flauta doce e violino. Ao longo do tempo, Carlos desenvolveu várias atividades em grupos de câmara, quartetos, duos, solo e sinfônico, assim como em apresentações e gravações de DVDs com a Orquestra Sinfônica de Teresina (OST) e a Orquestra de Câmara de Teresina (OCT).

Em 2004, Carlos trabalhou como professor no primeiro projeto de cordas friccionadas em Parnaíba, idealizado e mantido pelo Sesc. Atualmente, Carlos integra o quadro de funcionários do departamento de música, desenvolvendo a função de violinista na camerata da UFPI (técnico em violino). É também concertino de naipe do violino II da OST, professor da orquestra escola da OST e desenvolve um trabalho social de cordas friccionadas com crianças na cidade de União.

Sesc promove oficina “A Poética da Dramaturgia Circense”

papSITE

A partir da próxima segunda-feira (16) até o dia 20 de julho Teresina recebe a oficina “A Poética da Dramaturgia Circense”, que será ministrada pelo artista paraibano Diocélio Barbosa.

O objetivo da oficina é abordar a pluralidade dos processos criativos que podem levar o participante a navegar em busca de uma dramaturgia circense, seja ela mergulhando nos aspectos como espaço, corpo e objetos, como na relação com o outro. Também serão trabalhados o drama circense, as cenas cômicas e a dramaturgia pessoal do palhaço.

O público-alvo são artistas circenses ou pessoas interessadas na arte circense, a partir de 15 anos. Serão oferecidas 20 vagas em cada cidade.

A oficina já aconteceu em Floriano e também será realizada em Parnaíba entre os dias 23 e 27 de julho. Confira abaixo a programação:

 

Teresina

16 a 20 de Julho

Horário: 17h às 21h

Local: Organização Ponto de equilíbrio - OPEQ

 

Parnaíba

23 a 27 de Julho

Horário: 14h às 22h

Local: Sesc Avenida

 

Sobre o ministrante:

Diocélio Barbosa iniciou sua carreira artística no ano 2000. Possui experiência como ator, palhaço, diretor, arte-educador, pesquisador, gestor e produtor cultural. É licenciado em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Paraíba, especialista em Gestão e Produção Cultural pela Universidade Federal de Campina Grande com estudo em Marketing Cultural e mestre em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Atualmente é gerente de Circo do Estado da Paraíba e da Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm, ambas pela FUNESC. O artista estagiou no setor de cultura do Sesc Paraíba, foi diretor da Trupe Arlequim de Circo Teatro (2008) e da Cia. dos Clownssicos (2015). É formado pelo curso de reciclagem da Escola Nacional de Circo/FUNARTE (2007/RJ) e membro da ABRACE - Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas através do GT - Mito, Imagem e Cena.

Sub-categorias

Pagina 1 de 202

Editais

Ações

Parceiros