Logomarca Sesc
Piauí

Cultura

A área de manifestações culturais é considerada pelo SESC como contexto dos mais expressivos para a elevação dos indivíduos aos patamares superiores da condição humana e da produção de conhecimentos que contribuam para a proposição de soluções para os graves problemas que comprometem o processo de desenvolvimento nacional. Para que tal se efetive é necessário, entretanto, que a Entidade amplie seus esforços no sentido de criar condições que possibilitem à cultura se tornar um real instrumento de transformação dos indivíduos e da sociedade.

Não é suficiente, no entanto, um dizer de intenções nessa direção ou simplesmente a Entidade torna-se um espaço de ocorrência de produtos que possam ser designados como manifestações culturais. É necessário que os objetos assim reconhecidos pelos SESC sejam aqueles capazes de enriquecer intelectualmente os indivíduos, levá-los a desenvolver uma percepção mais acurada, propiciar-lhes uma nova compreensão das relações sociais, uma releitura de seu estar-no-mundo, permitir-lhes transcender suas condições de origem e formação, dotando-os, por conseguinte, de uma consciência mais universal. Em outras palavras, significa privilegiar produtos culturais que contribuam para construir um novo olho-o-mundo, e que se instrumentalizam em uma ação transformadora dos indivíduos e da sociedade, excluindo-se, portanto, da ação programática da Entidade, aqueles produtos culturais que tendem à sua reificação, por se formarem a partir de conteúdo e formas reiterativas de padrões culturais já gravados na memória de seus receptores.

Estímulo à Produção Cultural

Uma das formas de o SESC atuar no campo da cultura é o estímulo à produção cultural. Ao se constituir como um dos espaços de sua viabilização, estará o SESC criando condições para o seu revigoramento, contribuindo para o aperfeiçoamento da produção cultural brasileira, melhoria do nível intelectual do povo brasileiro e fortalecimento do sentimentos de identidade nacional, visto como condições essenciais do desenvolvimento.

A consciência de que é com uma ação efetiva no campo da produção cultural que o SESC poderá dar uma contribuição real para o alcance desses objetivos leva à necessidade de se definirem critérios e condições que orientem sua ação nesse campo.

A proposição de SESC ser um espaço de viabilização da produção cultural traz em si a necessidade de também ser incorporada à Entidade a função de articulador entre produtores e consumidores de bens culturais. Significa dizer que disponibilizar simplesmente seus espaços não permitirá distinguir seu papel no processo brasileiro, de outras entidades com finalidades e objetivos diversos.Assumir a função de articulador cultural exige a definição de uma proposta de gerenciamento que permita o alcance do objetivo proposto.Para tanto, é necessário que as linhas de trabalho a serem exercitadas permitam dotar os responsáveis pelo prazer cultural das condições necessárias para operacionalizarem o seu pensar e agir.

A Primeira linha de trabalho para efetivar a ação dos produtores culturais á a criação das bases materiais para a apresentação de seus produtos.

Veja abaixo as últimas notícias relacionadas ao programa Cultura:

Documentário sobre União Caixeiral é lançado no aniversário da instituição

caixeiral doc site

 

Dentro da programação que celebra os 100 anos do Centro Cultural Sesc Caixeiral, em Parnaíba, acontecerá o lançamento do documentário “Caixa de Memórias: a Caixeiral que vivi”. Será neste sábado (28), às 17h30min, seguida da abertura oficial da exposição e bate papo com a equipe do Mestrado em Artes, Patrimônio e Museologia da UFPI.

Com direção das professoras Áurea Pinheiro e Cássia Moura, o documentário faz imersão no cotidiano escolar da União Caixeiral a partir das memórias de educadores e estudantes, que acompanharam a trajetória da Instituição entre 1960 a 2005. O roteiro atravessa espaços da escola e mostra manifestações culturais e artísticas e relações entre o aprender e ensinar.

A produção do filme teve o apoio técnico e de pesquisa dos alunos do Mestrado em Museologia – UFPI, colaboração de ex-funcionários e ex-alunos da Escola União Caixeiral e do Sesc Piauí.

Programação da exposição

Dia 28 | 17h30m Sessão de estreia do documentário “Caixa de Memórias: a Caixeiral que vivi”

                18h Abertura da exposição “Caixa de memórias: a Caixeiral que eu vivi” e bate papo com a equipe do Mestrado Profissional em Museologia da UFPI

Dia 30 | 8h às 12h | 14h às 20h | Atividades Educativas

Maio/2018

De 02 a 18 | 8h às 12h | 14h às 20h | Atividades Educativas

Programação 16ª Semana Nacional de Museus | Maio

De 14 a 18 | Exposição “Caixa de memórias: a Caixeiral que eu vivi”

                       8h às 12h | 14h às 20h | Atividades Educativas

Dia 14 | 18h: Bate papo | Paulo Freire um educador sempre atual

                      Profª Drª Luciana Cavalcante (UFPI)

                      Mediação: Profª Cristina Brandão

Dia 16 | 18h: Bate papo | 1968-2018 Qualquer semelhança é pura coincidência

                      Prof. Dr. Idelmar Cavalcante (UFPI)

                      Mediação: Profª Hanna Morganna de Deus Alves

Dia 18 | 18h: Bate papo | “Museus hiperconectados”

                     Jornalista Stefano Ferreira

                     Arquiteta Jéssica Santiago

                     Mediação: Pedro Dias Junior

             19h – Sarau Hiperconectados!

Dia 19 | 18h - Encerramento: Agitação Cultural

Sesc Caixeiral promove Laboratório de Experimentação e Criação Literária

r1

O Sesc Caixeiral promove o Laboratório de Experimentação e Criação Literária, que neste ano terá como gênero literário a poesia. Trata-se de uma oficina de processo poético que terá a duração de cinco meses, de maio a setembro. 

As inscrições podem ser feitas na Central de Atendimento do Sesc Avenida, no período de 26 de abril a 11 de maio. A documentação exigida é a carteirinha atualizada de comerciário, dependente ou usuário do Sesc, identidade, CPF e comprovante de residência atualizado. A taxa para inscrição é de R$ 25,00 para comerciários e dependentes e R$ 50,00 para usuários.

O Laboratório, que é voltado para qualquer pessoa que tenha interesse por poesia e pelo fazer poético, tem o objetivo de estimular os participantes a produzir poesias. As aulas serão às terças e quintas-feiras (em encontros quinzenais), das 17h às 20h, de maio a setembro. A primeira aula será no dia 15 de maio.

Conheça o ministrante:

Daltro Paiva é poeta e psicólogo. Lançou-se como poeta em 2012, quando começou a divulgar seus poemas e a recitá-los nos eventos culturais da cidade. É colaborador dos jornais Correio Literário e O Piagui e escritor das plataformas Escrever Sem Fronteiras e O Piagui Virtual. Participa de eventos literários e culturais do Sesc desde 2013, onde atuou como ministrante de debates e mediador de bate-papos literários. Seu mais recente trabalho foi a participação na coletânea poética Versania, lançada em setembro de 2017. 

A Central de Atendimento do Sesc Avenida fica localizada na Rua Eunice Weaver, nº 01, centro de Parnaíba. 

Quinta Dança apresenta o espetáculo Caos

cincosite

Em cartaz no Quinta Dança o espetáculo Caos, da Companhia Equilíbrio de Dança, de Teresina. A apresentação será na próxima quinta-feira (26), às 19h, na Escola de Teatro Gomes Campos. A entrada é gratuita e a classificação é livre.

Caos aborda questões como respeito, direitos e posicionamentos no mundo, reconhecendo elos comuns que atravessam as fronteiras culturais entre povos e nações. Proporciona a discussão de temas que parecem estar longe, mas que na verdade estão bem perto de nós.

➥ Quinta Dança - Espetáculo Caos - Companhia Equilíbrio de Dança (PI)
Local: Escola de Teatro Gomes Campos - Teresina
Datas: 26 de abril
Horário: 19h
Ingresso: gratuito
Classificação: livre

União Caixeiral completa 100 anos e tem programação de aniversário

caixaSAITE

O Centro Cultural Sesc Caixeiral, em Parnaíba, completa 100 anos e para celebrar a data uma ampla programação está sendo preparada. Dentre as atividades estão mostras de artes visuais, apresentações de espetáculos, palestras e show com músicos locais. A programação acontece de 23 a 28 de abril na própria unidade.

O público será agraciado com uma mostra dos quadros de formatura das turmas da União Caixeiral de 1942 a 1998. Os arquitetos Francisco Costa e Andréa Cruz, responsáveis pela restauração do prédio da União Caixeiral, participarão de um bate-papo sobre a restauração do espaço.

Também será exibido um documentário sobre os 100 anos da União Caixeiral, seguida de apresentação do espetáculo “Um manicaca”, de Abdias Neves, com o grupo Mais Brava Companhia, sob a direção de Sonária Vasconcelos.

Os professores do Mestrado em Artes, Patrimônio e Museologia da Universidade Federal do Piauí, Áurea Pinheiro e Cássia Moura, além do coordenador do curso de História do FID, Naudiney Gonçalves, ministrarão a palestra “O mal-estar do patrimônio cultural: Parnaíba 10 anos de tombamento”.  Em seguida, será apresentado o espetáculo musical “Saga Caixeiral”, sob regência do maestro Beetholven Cunha.

No último dia de atividades, colaboradores e visitantes do Sesc participarão do hasteamento da bandeira ao som da Orquestra Jovem do Sesc, seguida de encontro e bate-papo entre alunos, ex-alunos e amigos da União Caixeiral, com mediação do professor Josenias dos Santos Silva.

À tarde será ministrada a palestra “União Caixeiral: a escola como lugar de memória criadora de um patrimônio vivo”, ministrada por Helder José Souza do Nascimento, ex-aluno e ex-professor da União Caixeiral.

Encerrando a programação haverá apresentação da Orquestra Jovem do Sesc com a participação da soprano Iza de Lucena (Flórida – EUA), seguida de vernissage da exposição “Caixa de Memórias – 100 anos da União Caixeiral, em parceria com a pós-graduação em Artes, Patrimônio e Museologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Felício Neto e convidados farão o show de encerramento no Café Concerto da unidade.

Confira abaixo a programação completa:

23/04 – 8h - Abertura da programação com a Mostra dos Quadros de Formatura da União Caixeiral (1942-1998). Local: Núcleo de Cinema e Experimentação Cênica Edméa Ferraz

24/04 – 18h30 – Bate-papo com os arquitetos Francisco Costa e Andréa Cruz sobre a reforma e restauro do prédio da União Caixeiral e sua transformação no Centro Cultural. Local: Sala Francisco Eliziário

25/04 – Exibição do Documentário “100 anos de União Caixeiral: Contabilizando Histórias”, em três sessões: 9h, 16h e 18h - Parceria Sesc e FID (Alunos do 7º Bloco ). Local: CineSesc Miguel Ferreira e Alinda Tajra

26/04 – 19h – Teatro na União Caixeiral: Homenagem ao teatro da União Caixeiral com Sonária Vasconcelos com participação de Erasmo Amorim e Espetáculo Teatral “Um Manicaca”, de Abdias Neves com o grupo Mais Brava Cia sob direção de Sonária Vasconcelos. Local: Núcleo de Cinema e Experimentação Cênica Edméa Ferraz

27/04 – 18h – “O mal-estar do Patrimônio Cultural: Parnaíba 10 anos de tombamento” - Palestra com Áurea Pinheiro e Cassia Moura, professoras do mestrado em Artes, Patrimônio e Museologia da UFPI e Naudiney Gonçalves, coordenador do curso de História da FID. Local: Sala Francisco Eliziário. 19h – Apresentação da peça musical “Saga Caixeiral”, com o Maestro Beetholven. Local: Café Concerto

28/04 – 8h- Solenidade de Hasteamento da Bandeira com a Orquestra Jovem Sesc Caixeiral e encontro com ex-alunos, vizinhos e amigos da União Caixeiral. Mediação: Professor Josenias dos Santos Silva. Local: Café Concerto
9h e 15h – Palco aberto com ex-alunos da União Caixeiral

16h – “União Caixeiral: A escola como lugar de memória criadora de um patrimônio vivo” Palestra com o produtor cultural Helder José Souza do Nascimento (ex-aluno e ex-professor da instituição). Local: Café Concerto

18h - Apresentação da Orquestra Jovem do Sesc Caixeiral com a Soprano Iza de Lucena (Flórida - EUA). Local: Sala Francisco Eliziário

19h- Vernissage da Exposição “Caixa de Memórias – 100 anos da União Caixeiral”. Parceria Sesc e Pós-Graduação em Artes, Patrimônio e Museologia da UFPI. Local: Café Concerto

20h – Show com Felício Neto e convidados. Local: Café Concerto

Companhia carioca apresenta segundo espetáculo do Palco Giratório

tenSITE

O segundo espetáculo do Palco Giratório no Piauí será “Eles não usam tênis naique”, da Companhia Marginal (RJ). As apresentações começaram no último domingo (22), em Parnaíba. Em Teresina será nesta terça-feira (24) e em Floriano no dia 28. A classificação é 14 anos e a entrada é 1kg de alimento não perecível, que será doado ao Programa Mesa Brasil Sesc.

Ambientado em uma favela do Rio de Janeiro, o espetáculo narra o reencontro de um pai e uma filha que não se viam há muitos anos. Ele foi traficante nos anos 1980, quando o comércio ilegal de drogas ainda mantinha um vínculo moral com a comunidade. Ela é uma jovem traficante nos dias atuais. 

A apresentação gira em torno de um embate ideológico entre os dois personagens, representados em cena por quatro atores que se alternam sucessivamente nos dois papeis, num jogo cênico em que nenhuma posição é fixa e onde a ficção está sempre sob o risco da realidade.

Confira abaixo a programação:

Teresina:
24/04 – 19h30
Local: Teatro 4 de Setembro

Floriano:
28/04 – 19h30
Local: Teatro Maria Bonita

Junto com o espetáculo circula a oficina “Trocas Marginais”, que é um espaço de transmissão e exercício de uma rotina de treinamento físico e preparação de ator e também de um conjunto de dispositivos de pesquisa e criação, desenvolvidos e acionados ao longo dos mais de dez anos de trabalho continuado da Cia. Marginal. 

Os encontros incluirão exercícios sobre a dilatação dos sentidos, da presença, da atenção e da capacidade expressiva dos participantes; propostas de improvisação que estimulem o ator a transitar entre mundos e tempos reais e ficcionais; exercícios de composição cênica e dramatúrgica que explorem diferentes possibilidades de fabulação e ficcionalização a partir de documentos "reais". O público-alvo são estudantes, pesquisadores e profissionais das artes cênicas.

Programação Oficina Trocas Marginais:

Teresina: 
25/04 – 14h
Local: Escola de Teatro Gomes Campos

Floriano:
27/04 – 14h
Local: Teatro de Arena do Sesc

Companhia Marginal (RJ)
Criada em 2005 na Maré, o maior complexo de favelas do Rio de Janeiro, a Cia. Marginal reúne artistas de dentro e fora da comunidade, engajados na construção de uma cena que se reflete sobre a cidade a partir da periferia. Ao longo de sua trajetória, manteve um núcleo estável de atores, consolidou uma equipe de colaboradores e produziu quatro espetáculos: Qual é a nossa cara? (2007), Ô, Lili (2011), In_Tânsito (2013) e Eles não usam tênis naique (2015). Ocupa hoje espaço fundamental na cena contemporânea do Rio de Janeiro. 

Sub-categorias

Pagina 1 de 189

Editais

Ações

Parceiros