Logomarca Sesc
Piauí

Cultura

A área de manifestações culturais é considerada pelo SESC como contexto dos mais expressivos para a elevação dos indivíduos aos patamares superiores da condição humana e da produção de conhecimentos que contribuam para a proposição de soluções para os graves problemas que comprometem o processo de desenvolvimento nacional. Para que tal se efetive é necessário, entretanto, que a Entidade amplie seus esforços no sentido de criar condições que possibilitem à cultura se tornar um real instrumento de transformação dos indivíduos e da sociedade.

Não é suficiente, no entanto, um dizer de intenções nessa direção ou simplesmente a Entidade torna-se um espaço de ocorrência de produtos que possam ser designados como manifestações culturais. É necessário que os objetos assim reconhecidos pelos SESC sejam aqueles capazes de enriquecer intelectualmente os indivíduos, levá-los a desenvolver uma percepção mais acurada, propiciar-lhes uma nova compreensão das relações sociais, uma releitura de seu estar-no-mundo, permitir-lhes transcender suas condições de origem e formação, dotando-os, por conseguinte, de uma consciência mais universal. Em outras palavras, significa privilegiar produtos culturais que contribuam para construir um novo olho-o-mundo, e que se instrumentalizam em uma ação transformadora dos indivíduos e da sociedade, excluindo-se, portanto, da ação programática da Entidade, aqueles produtos culturais que tendem à sua reificação, por se formarem a partir de conteúdo e formas reiterativas de padrões culturais já gravados na memória de seus receptores.

Estímulo à Produção Cultural

Uma das formas de o SESC atuar no campo da cultura é o estímulo à produção cultural. Ao se constituir como um dos espaços de sua viabilização, estará o SESC criando condições para o seu revigoramento, contribuindo para o aperfeiçoamento da produção cultural brasileira, melhoria do nível intelectual do povo brasileiro e fortalecimento do sentimentos de identidade nacional, visto como condições essenciais do desenvolvimento.

A consciência de que é com uma ação efetiva no campo da produção cultural que o SESC poderá dar uma contribuição real para o alcance desses objetivos leva à necessidade de se definirem critérios e condições que orientem sua ação nesse campo.

A proposição de SESC ser um espaço de viabilização da produção cultural traz em si a necessidade de também ser incorporada à Entidade a função de articulador entre produtores e consumidores de bens culturais. Significa dizer que disponibilizar simplesmente seus espaços não permitirá distinguir seu papel no processo brasileiro, de outras entidades com finalidades e objetivos diversos.Assumir a função de articulador cultural exige a definição de uma proposta de gerenciamento que permita o alcance do objetivo proposto.Para tanto, é necessário que as linhas de trabalho a serem exercitadas permitam dotar os responsáveis pelo prazer cultural das condições necessárias para operacionalizarem o seu pensar e agir.

A Primeira linha de trabalho para efetivar a ação dos produtores culturais á a criação das bases materiais para a apresentação de seus produtos.

Veja abaixo as últimas notícias relacionadas ao programa Cultura:

Coletivo Cabaça apresenta “Entre Cães e Ratos” no Sesc Caixeiral

caes600

Fazendo parte da programação do circuito de palestras, intervenções, exposições e apresentações artísticas com temáticas sobre liberdade, repressão e lutas, o Sesc Caixeiral apresenta nesta quinta-feira (27), às 19h, a peça “Entre Cães e Ratos”, do Coletivo Cabaça (PI). A entrada é gratuita e a classificação é 16 anos.

“Entre Cães e Ratos” é um manifesto. Um espetáculo-protesto. Um diálogo entre o tempo e a política. A dramaturgia de Ryck Costa, diretor do espetáculo, entrecruzada com a obra "Os que Bebem como os Cães”, do piauiense Assis Brasil, soma a um discurso (a)temporal sobre ditadura e repressão. O texto é um fôlego em tempos de censura, um desabafo em época de temeridades.

 

 

Quinta Dança apresenta o espetáculo de dança Swag

5DSITE

O Quinta Dança apresenta na próxima quinta-feira (27) o espetáculo de dança Swag, do Núcleo Piauiense de Danças Urbanas. Será às 19h, na Escola de Teatro Gomes Campos. A classificação é livre e a entrada é gratuita.

Swag é um estudo em Hip-hop/Danças Urbanas onde se abordam os diferentes estilos que compõem a Dança de Rua, Vogue Dance, Street Jazz, Krump Dance, Ragga Jam e Hip-hop Dance, pondo em questão e em cena esses diferentes contextos que formam uma só cultura.

A transformação de um gênero de dança para o outro, a organização e adaptação de um mesmo corpo para diferentes linguagens, além de encenar essas miscigenações de códigos e movimentos corporais, é um objetivo crucial da performance. O contexto da Dança de Rua e suas variações, seus gêneros, seus estilos, seu legado, o que ficou, o que se foi e o que entregamos para a rua e muito mais são apresentados no espetáculo.

A direção geral e coreográfica e o figurino são de Márcio Felipe Gomes e os intérpretes são Amanda Fernandes, Felipe Oliveira, Júlia Fernandes, Lyvia Moura e Marcio Felipe Gomes.

Fabrício Gallegos Rojas realiza concerto e oficina no projeto “Com a palavra, o músico!”

fabricio

 

O Sesc Piauí apresenta mais uma edição do projeto “Com a palavra, o músico!”. Desta vez, o projeto traz artista internacional para solo piauiense: o violeiro boliviano Fabrício Gallegos Rojas. Além do concerto, Fabrício também vai ministrar oficina sobre o processo de construção do violão clássico.

O concerto será na próxima terça-feira (25), às 18h, na sala Agostinho Pinto do projeto Música Para Todos. No próximo sábado (29), o artista boliviano vai ministrar oficina no Sesc Ilhotas, das 8h às 12h. A entrada é gratuita.

Conheça o artista convidado

Fabrício Eduardo Gallegos Rojas, o guitarrista Cochabamba (Bolívia), é bacharel em Artes. Foi aluno do mestre americano Erick Foster e participou da oficina de violão do americano Enric Madriguera, organizado pelo Centro Boliviano Americano em Cochabamba e La Paz.

Fabrício organizou vários festivais, concertos e seminários de violão, apoiando o desenvolvimento do violão clássico na Bolívia. Em Teresina, é convidado para participar do Festival de Violão, realizado entre 17 a 19 de novembro de 2017, com palestra e show. Em 2018, é novamente convidado a participar do II Festival de Violão e como membro do juro da I Competição de Violão no Brasil.

Palco Giratório apresenta “O Crivo” em Teresina e Parnaíba

crivosite3

O grupo Ateliê do Gesto (GO) está em circulação no Piauí pelo Palco Giratório com o espetáculo “O Crivo”. A primeira apresentação do grupo foi em Floriano, no último final de semana. As próximas apresentações serão em Teresina e Parnaíba, nesta quinta-feira (20) e sábado (22), respectivamente. A classificação é livre e a entrada é gratuita.

Simultaneamente ao espetáculo acontece a oficina “Corpo-Espaço”, que será ministrada pelos atores do grupo. O público alvo são bailarinos, estudantes do corpo e das artes cênicas. Serão oferecidas 20 vagas para cada cidade.

Confira abaixo a programação completa:

TERESINA

Espetáculo O Crivo – 20/09 – 19h30 – Theatro 4 de Setembro

Oficina Corpo-Espaço – 19/09 – das 14h às 20h – E. M. Professor João Porfirio de Lima Cordão

PARNAÍBA

Espetáculo O Crivo – 22/09 – 19h – Teatro do Sesc Avenida

Oficina Corpo-Espaço – dias 23 e 24/09 – às 8h e às 14h – Sesc Avenida

O Crivo é um espetáculo de dança inspirado na obra “Primeiras Estórias”, do escritor João Guimarães Rosa, um dos mais revolucionários e complexos da literatura brasileira do século XX. Dois homens criam relações que só se revelam à medida que atravessam suas estórias, o sertão, ao som do fazendeiro, de galo cantando, de vento batendo em meio a folhas das árvores.

Sobre o Palco Giratório

Em sua 21ª edição o Palco Giratório realizará 625 apresentações artísticas e mais de 1.600 horas de oficinas. O projeto é uma iniciativa do Sesc de difusão e intercâmbio de artes cênicas, que se consolida como a maior ação do gênero no Brasil.

Ao longo de 2018 as atividades acontecem em 132 cidades de 26 estados e do Distrito Federal, oferecendo uma programação caracterizada pela diversidade de expressões, qualidade de espetáculos e ações formativas com grupos das cinco regiões brasileiras.

O destaque deste ano é o circo, com homenagem ao Palhaço Biribinha. Patrimônio vivo da cultura alagoana, Teófanes Antônio Leite e Silveira tem um histórico de engajamento e resistência para com as artes circenses no Brasil.

Mais Brava Companhia apresenta “A Sombra do Muro” no Sesc Caixeiral

 

 

 

valeessa2

Neste mês de setembro o Centro Cultural Sesc Caixeiral, em Parnaíba, está com programação que discute temáticas como liberdade, repressão e lutas por meio de debates, intervenções, exposições e apresentações artísticas.

Dentro da programação, A Mais Brava Companhia apresenta nesta sexta-feira (21), às 19h, o espetáculo “A Sombra do Muro”. A entrada é gratuita e a classificação é 16 anos. A apresentação será no Núcleo de Cinema e Experimentação Cênica do Sesc Caixeiral.

O texto, escrito durante a ditadura militar e uma adaptação da obra da escritora Hilda Hilst, faz uma metáfora sobre opressão e liberdade ao mostrar a cíclica rotina de uma casa religiosa.

Em “O Rato no Muro”, freiras estão enclausuradas em um convento. O que as separa do mundo exterior é um muro altíssimo, feito de pedras e sem portas. Diariamente, as irmãs seguem uma mesma rotina, onde rezam e confessam suas culpas diante da madre superiora. Elas não conseguem fugir ao coletivo e se comportam como um coral, massificadas pelo confinamento. A rotina repressora impede que se aproximem do muro, oprimindo qualquer possibilidade de ação, movimento e liberdade.

O sumiço de uma das irmãs, um gato sacrificado e a simples visão de um rato sobre o muro são acontecimentos notáveis. O rato inspira, na medida em que pode subir e ver o que a elas é negado ver. Diante disso, a mais questionadora das irmãs almeja conseguir o apoio das outras para ultrapassar o muro que as aprisiona. Seu desejo se torna ainda maior ao constatar a passagem de seres, que transitam livremente.

A direção é de Mariane Sales e o elenco conta com Daniele Neves, Gabriela Souza, Josi Costa, Mariana Sales, Mariane Sales, Mell Almeida, Rod, Roberta Dourado e Rodrigo Serra.

Sub-categorias

Pagina 1 de 212

Editais

Ações

Parceiros