Logomarca Sesc
Piauí

Cultura

A área de manifestações culturais é considerada pelo SESC como contexto dos mais expressivos para a elevação dos indivíduos aos patamares superiores da condição humana e da produção de conhecimentos que contribuam para a proposição de soluções para os graves problemas que comprometem o processo de desenvolvimento nacional. Para que tal se efetive é necessário, entretanto, que a Entidade amplie seus esforços no sentido de criar condições que possibilitem à cultura se tornar um real instrumento de transformação dos indivíduos e da sociedade.

Não é suficiente, no entanto, um dizer de intenções nessa direção ou simplesmente a Entidade torna-se um espaço de ocorrência de produtos que possam ser designados como manifestações culturais. É necessário que os objetos assim reconhecidos pelos SESC sejam aqueles capazes de enriquecer intelectualmente os indivíduos, levá-los a desenvolver uma percepção mais acurada, propiciar-lhes uma nova compreensão das relações sociais, uma releitura de seu estar-no-mundo, permitir-lhes transcender suas condições de origem e formação, dotando-os, por conseguinte, de uma consciência mais universal. Em outras palavras, significa privilegiar produtos culturais que contribuam para construir um novo olho-o-mundo, e que se instrumentalizam em uma ação transformadora dos indivíduos e da sociedade, excluindo-se, portanto, da ação programática da Entidade, aqueles produtos culturais que tendem à sua reificação, por se formarem a partir de conteúdo e formas reiterativas de padrões culturais já gravados na memória de seus receptores.

Estímulo à Produção Cultural

Uma das formas de o SESC atuar no campo da cultura é o estímulo à produção cultural. Ao se constituir como um dos espaços de sua viabilização, estará o SESC criando condições para o seu revigoramento, contribuindo para o aperfeiçoamento da produção cultural brasileira, melhoria do nível intelectual do povo brasileiro e fortalecimento do sentimentos de identidade nacional, visto como condições essenciais do desenvolvimento.

A consciência de que é com uma ação efetiva no campo da produção cultural que o SESC poderá dar uma contribuição real para o alcance desses objetivos leva à necessidade de se definirem critérios e condições que orientem sua ação nesse campo.

A proposição de SESC ser um espaço de viabilização da produção cultural traz em si a necessidade de também ser incorporada à Entidade a função de articulador entre produtores e consumidores de bens culturais. Significa dizer que disponibilizar simplesmente seus espaços não permitirá distinguir seu papel no processo brasileiro, de outras entidades com finalidades e objetivos diversos.Assumir a função de articulador cultural exige a definição de uma proposta de gerenciamento que permita o alcance do objetivo proposto.Para tanto, é necessário que as linhas de trabalho a serem exercitadas permitam dotar os responsáveis pelo prazer cultural das condições necessárias para operacionalizarem o seu pensar e agir.

A Primeira linha de trabalho para efetivar a ação dos produtores culturais á a criação das bases materiais para a apresentação de seus produtos.

Veja abaixo as últimas notícias relacionadas ao programa Cultura:

João Terra ministra a oficina "O Som do Barro" no Sesc Caixeiral

barro

 

O Sesc Caixeiral promove a oficina "O Som do Barro - Reconstruindo os Sons da América”, ministrado pelo músico João Terra. Será nos dias 20, 21 e 23 de agosto, no Centro Cultural Sesc União Caixeiral, em Parnaíba, das 15h às 18h. O curso tem carga horária de 10h/aula.

O curso propõe o resgate da cultura musical e sonora da ancestralidade americana. Durante a oficina, os participantes exercitam a coordenação motora, sensorialidade e criatividade no contato com o barro e na experimentação musical.

Além disso, serão ensinadas técnicas básicas criando objetos e instrumentos musicais de argila, como silbatos, ocarinas, flautas, antaras, fazendo ressonar novamente os sons destruídos e esquecidos pelo processo de colonização.

São ofertadas 15 vagas. As inscrições podem ser feitas através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScDD6XfmaJXSWQYIWLAdyh47J4BZVdHL5kOsZeREduRg_ZSLw/viewform?usp=sf_link

 

Sobre o ministrante

João Terra é um investigador e multi-instrumentista piauiense, nascido em Luzilândia e radicado na cidade de Parnaíba desde 2009. Músico desde os 14 anos, iniciou sua carreira como baterista tocando em várias bandas da região do baixo-Parnaíba. A partir de 2006 passou a se interessar por outros instrumentos expandindo sua pesquisa musical para o violão e depois para a flauta, teclado e contrabaixo. Já residindo em Parnaíba fez graduação em História pela UESPI, concluindo o curso em 2015 desenvolvendo trabalhos de pesquisa voltados para religião, cultura e natureza. Em 2013 iniciou suas primeiras investigações sobre luteria de flautas e instrumentos nativo-americanos a partir do bambu. Aprofundando sua busca descobriu que o barro também dá som. Desenvolveu assim uma arqueologia sonora onde silbatos e ocarinas ancestrais trazem à memória os sons esquecidos de Abya Yala. Hoje atua principalmente na área de musicalização infantil e como professor de História realizando oficinas e encontros para a difusão destes conhecimentos.

Jair Bolsonaro considera bem-vindas iniciativas do Sistema S na educação

14082019-visita--escola-do-sesc---edifcio-miranda-osrio 48537833486 o

Um emocionante passeio para cumprimentar o público aglomerado em frente à escola do Sesc no Edifício Miranda Ozório, em Parnaíba, marcou a chegada do presidente da república, Jair Messias Bolsonaro, no final da manhã desta quarta-feira (14). Ele foi recepcionado pelo presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac no Piauí, Valdeci Cavalcante, que estava acompanhado do presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros.

Jair Bolsonaro concedeu entrevista aos jornalistas que aguardavam em frente à escola do Sesc. Quando perguntado sobre os investimentos do Sistema S em escolas como estas, o presidente Jair Bolsonaro respondeu “São bem-vindos. Dessa forma podemos ajudar o futuro do Brasil. Só mudamos o Brasil com boas escolas”.

Em seguida, Jair Bolsonaro e comitiva entraram na escola e seguiram para o Salão Nobre, onde recebeu uma placa de homenagem do presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac no Piauí, Valdeci Cavalcante. O presidente conversou com convidados do Sesc, fez fotos com funcionários da instituição e com os operários que trabalharam na obra de restauração do prédio centenário.

Participaram da solenidade os presidentes do Sistema Fecomércio RJ, Antônio Florêncio de Queiroz Júnior, o vice-presidente da CNC, Lázaro Luiz Gonzaga, o presidente do Sistema Fecomércio PE, Bernardo Peixoto, e o presidente do Sistema Fecomércio DF, Francisco Maia, além dos deputados federais do Piauí, Iracema Portela, Flávio Nogueira, Átila Lira e Júlio César Lima, dentre outras personalidades políticas, empresariais e sociais do Piauí e do Brasil.

Prof. Dr. André Aguiar promove oficina sobre História e Patrimônio no Sesc Caixeiral

ficina

 

O Sesc Caixeiral, em Parnaíba, promove a oficina de formação “Ensino de História e Patrimônio Cultural”, que será ministrada pelo professor Dr. André Aguiar Nogueira, de 05 a 08 de agosto, das 15h às 18h.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através de link disponibilizado no final deste texto até o dia 01 de agosto. Serão oferecidas 20 vagas.

A oficina é voltada para professores, pesquisadores, estudantes e demais interessados nos debates e experiências acerca da memória e do patrimônio. O objetivo é desenvolver competências no campo do patrimônio cultural enquanto mecanismo de dinamização do ensino e valorização da cultura local.

A metodologia fundamenta-se na leitura e debate de textos, na produção de entrevistas, na realização de inventários e na elaboração de roteiros que permitam relacionar pedagogicamente História e Patrimônio.

Link para inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdjBL0GEEuoCaEI8p6-zKIsI7Cjc-HvuWTB1oOFftmoTqtBKw/viewform?usp=sf_link

Sobre o ministrante:

André Aguiar Nogueira é Mestre e Doutor em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2015). Publicou o livro “Fogo, vento, terra e mar: A arte de falar dos trabalhadores do mar”. Ocupou cargo de técnico e de coordenador do Patrimônio Histórico e Cultural da Secretaria de Cultura de Fortaleza (2008-2012). Foi membro do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Histórico (COMPHIC) e do Conselho Municipal de Cultura (CMPC). Ministrou aulas em cursos de graduação e pós-graduação em História na Universidade Vale do Acaraú (UVA), na Faculdade Internacional do Delta (FID) e no Instituto Dexter de Desenvolvimento Humano, de 2010 a 2016. Foi assistente Técnico da Fundação Brasil Cidadão para Ciência, Educação e Tecnologia no Programa Petrobras Agenda 21 Comunitária. Lecionou como professor substituto do curso de Licenciatura em História da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), Campus Parnaíba (2013 e 2017). É pesquisador das temáticas Corpo, Natureza, Cultura, Memória, Cidade, Patrimônio e Turismo, integra o Grupo de Estudos e Pesquisas em Patrimônio e Memória (GEPPM-UFC/CNPQ) no qual desenvolveu o Pós-Doutorado Pesquisa e Mapeamento do Patrimônio Cultural do Litoral de Fortaleza (2015/2016), bolsa FUNCAP. Foi professor adjunto da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), Campus Assu, em 2017. Atualmente é professor do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Campus Tabuleiro do Norte.

Mostra Sesc Amazônia das Artes começa nesta quarta-feira (31)

SESC-AMAZONIA-DAS-ARTESsite

A Mostra Sesc Amazônia das Artes chega em sua 12ª edição em 2019 consolidada como uma das mais importantes iniciativas de circulação de manifestações artísticas fora dos grandes centros urbanos.

Com o objetivo de divulgar as diferentes expressões artísticas produzidas na Região Amazônica, o projeto acontece simultaneamente em vários estados até o fim do ano.

Em Teresina a abertura da Mostra será nesta quarta-feira (31), às 19h30, no Palácio da Música, com apresentação da banda piauiense Bia e os Becks. A classificação é livre e a entrada é 1kg de alimento não perecível.

“A proposta é promover um intercâmbio de experiências e vivências entre os artistas dos estados que compõem a Amazônia Legal e o Piauí, convidado a participar do projeto em virtude de sua proximidade geográfica e identificação com o cenário sociocultural, sobre diferentes manifestações artísticas”, afirma Lili Machado, coordenadora técnica de cultura do Sesc Piauí.

A programação da Mostra inclui shows, apresentações de teatro, oficinas, exposições e mostra de cinema em Teresina e Parnaíba.

Confira a programação completa em http://www.pi.sesc.com.br/images/banners/sesc.jpg

Sonora Brasil chega ao Piauí difundindo a cultura dos povos originários do Brasil

sonorasite

O Sonora Brasil, considerado o maior projeto de circulação musical do país, tem início no Piauí na próxima terça-feira (30), em Parnaíba, com a apresentação dos grupos Dzubucuá do povo Kariri-Xocó (AL) e Memória Fulni-ô do povo Fulni-ô (PE). Será às 19h30, no Sesc Caixeiral. A classificação é livre e a entrada é 1kg de alimento não perecível.

Em Teresina, esses mesmos grupos se apresentam no dia 01 de agosto, às 19h30, na Casa da Cultura, na abertura do projeto na capital. Em Floriano as apresentações começam no dia 03 de agosto e acontecem no Teatro Maria Bonita.

Em sua 22ª edição, o circuito que passa pelo Piauí este ano traz o tema “A música dos povos originários do Brasil”, com a participação de grupos do Rio Grande do Sul, Alagoas, Pernambuco e Rondônia.

O Sonora Brasil realiza cerca de 450 concertos por ano, passando por mais de 100 cidades, a maioria distante dos grandes centros urbanos. O projeto possibilita à população o contato com a qualidade e a diversidade da música brasileira e contribui para o conjunto de ações desenvolvidas pelo Sesc visando a formação de plateia. Para os músicos, propicia uma experiência ímpar, colocando-os em condição privilegiada para a difusão de seus trabalhos e, consequentemente, estimulando suas carreiras.

“O foco do Sonora é incentivar novas práticas e novos hábitos de apreciação musical através de apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes e contribuem para a memória da cultura musical brasileira”, explica Lili Machado, coordenadora regional de cultura do Sesc Piauí.

Clique no link para ver a programação completa em todas as cidades: http://www.pi.sesc.com.br/download/pgmsonorabrasil2019.pdf

 

 

 

 

Sub-categorias

Pagina 1 de 241

Editais

Ações

Parceiros